Página Inicial
 Nutrientes
  Macronutrientes
   Carboidratos
   Proteínas
   Gorduras
   Fibras [+]
  Micronutrientes
  Vitaminas
   Vitamina A
   Vitamina D
   Vitamina E [+]
  Minerais
   Cálcio
   Sódio [+]
 Mais conteúdos [+]

 Guia Nutricional
 Artigos sobre Nutrição
 Alimentação Saudável
 Dicas Nutricionais
 Test Drive de Produtos
 Expectativa de Vida
 Teste Nutricional
 Teste Yin Yang
 Cálculos On-line
  Peso Ideal
  IMC
  Atividades Físicas
  Calorias Homens
  Calorias Mulheres
 Tabela de Calorias
 Nutrição e Patologias
 Área dos Professores

 Jogos On-line
 Exercícios Resolvidos
 Provas de Concursos

 Mito ou Verdade?
 Curiosidades
 Receitas
 Dicionário de Nutrição
 Notícias
 Profissão Nutricionista
 Laifis de Nutrição
 Downloads
 Fale Conosco

 
Busca Geral

 

.:: Dieta DASH (Dietary Approaches to Stop Hypertension) pode ajudar na prevenção de pedras nos rins, informa artigo do periódico CJASN - Só Nutrição ::.

Dieta DASH (Dietary Approaches to Stop Hypertension) pode ajudar na prevenção de pedras nos rins, informa artigo do periódico CJASN

Pesquisa publicada no Clinical Journal of the American Society of Nephrology, de setembro de 2010, avaliou a relação existente entre a dieta Dietary Approaches to Stop Hypertension (DASH Diet), a excreção urinária de fatores litogênicos e a redução na formação de cálculos renais (nefrolitíase).

Foram analisados dados de 3.426 participantes com e sem nefrolitíase nos estudos Health Professionals Follow-up Study (HPFS) e Nurses Health Studies (NHS) I e II. A dieta DASH é baseada na alta ingestão de frutas, vegetais, nozes, legumes, lacticínios desnatados, grãos integrais e baixa ingestão de açúcares e carnes vermelhas ou processadas.

Os resultados mostram que esta dieta pode reduzir a formação de pedras nos rins por aumentar a excreção do citrato urinário e o volume urinário. A pequena associação entre um score alto na dieta DASH e a supersaturação relativamente baixa de oxalato de cálcio (apenas em mulheres) sugere inibidores de cálculos não identificados em lacticínios e/ou plantas. Também foram observadas maior excreção urinária de potássio, magnésio, fosfato e maior pH, além de baixa supersaturação relativa de ácido úrico.

Uma das principais limitações do estudo é a coleta de amostras de urina de 24 horas, o que não permite a identificação de aumentos pós-prandiais de fatores litogênicos como do cálcio e do oxalato e reflete apenas a ingestão dietética de curto prazo. Outro fator limitante é a participação de apenas pessoas brancas, não permitindo generalizações.

04/10/2010

Fonte: www.nutricaohoje.com.br

Curta nossa página nas redes sociais!

 

 

Mais produtos

Sobre nós | Política de privacidade | Contrato do Usuário | Anuncie | Fale conosco

Copyright © 2017 Só Nutrição. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Virtuous.